Psicologia Paranormal

A mente tem um papel significativo no paranormal; exatamente quão significativo não é sabido ainda, mas é claro que o estado psicológico do paragon e a habilidade de pensar e concentrar tem um considerável efeito em muitos de seus poderes, especialmente mentais, sensoriais e milagres. Mesmo o nome da crescente ciência da parapsicologia demonstra a conexão entre o paranormal e o psicológico.

Poder e Crença

Há evidência demonstrando uma relação entre um estado mental de um paranormal e as funções de seus poderes. Alguns descrevem habilidades paranormais como funções da “vontade”, “crença” ou até mesmo “fé”, e aparentemente é pelo menos parcialmente o caso. Paragons incapazes de concentrar e focar mentalmente geralmente sofrem impedimentos de suas habilidades. Alguns tentam usar isso para sua vantagem, seja criando distrações para inibir o uso de poderes (bombas de luz, sirenes, irritadores, etc), ou usando coisas como drogas para afetar a concentração de um paranormal capturado.

Momentos de Pico

Psicologia tem uma grande conexão com limiares paranormais. Parapsicólogos referem-se ao “momento de pico”, um estado emocional particularmente forte que inicia o limiar. Em muitos casos a emoção é medo ou puro instinto de sobrevivência, mas em outros é fúria, alegria, inveja, ou êxtase. Alguns paranormais não indicam um momento de pico de emoção em seus limitares, mas apenas porque eles não lembram da experiência. Em outros casos, especialistas especulam que calma e foco extraordinários – um tipo de estado “Zen” – pode constituir um tipo de momento de pico em si mesmo.

A natureza do momento de pico, o estado mental individual, também parece influenciar a manifestação do potencial paranormal. Teorias sugerem que poderes de paragons são derivados de suas necessidades emocionais quando eles despertam. Então medo ou instinto de sobrevivência produzem habilidades defensivas ou ofensivas (dependendo da reação), fúria e raiva produzem mais habilidades ofensivas, entre outros. A maioria acredita que isto é simplesmente parte de uma equação psicológica complexa incluindo desejos conscientes e subconscientes, experiência passada, personalidade, crenças, ambiente, e outros fatores.

Apesar do momento de pico aparentar ser um componente maior no limiar, claramente não é o único, já que nem todo mundo que o tem experiências no mesmo nível de emoção se torna um paranormal. Ainda assim, grupos de centelhas e eventos de caçadores de origens são geralmente baseados em tentar forjar momentos de pico como meios de iniciar um limiar.

O Efeito Dumbo

Se poderes paranormais são produtos da mente, então a um certo grau paranormais são capazes de fazer o que eles acreditam serem capazes de fazer. Parapsicólogos chamaram isso de o “Efeito Dumbo” baseado no elefante animado que podia voar porque ele acreditava fortemente nisso. É claro, “acreditar” pode nem ser o termo correto, já que a reação inicial de muitos paranormais aos seus talentos é a descrença, que não aparenta enfraquecê-los, pelo menos inicialmente.

Adina assim, a função contínua dos poderes paranormais aparentam estar parcialmente ligados a auto-confiança e determinação do indivíduo. Paranormais que experimentam depressão, dúvida, ou descrença prolongada em suas próprias capacidades tendem a experimentar uma diminuição de seus poderes, pelo menos até eles reafirmarem sua confiança. Isto é muito parecido com o “desempenho de ansiedade” de uma pessoa normal e a perda de proficiência em uma certa habilidade. Do mesmo jeito, a cura aparentemente é não desistir e perseguir até que um padrão de sucesso reafirme a confiança do indivíduo.

Dispositivos ACME

Um tipo particular de efeito Dumbo pode ser chamado de “dispositivos ACME” criados por alguns paranormais. As piadas e teorias variadas sobre o que significa “ACME” são desde “Sempre Contradizendo Grandes Especialistas”, “Uma Desculpa Mecânica Confusa”, e “Métodos e Equipamentos de Conceitos Atualizados”. Na verdade, eles são nomeados devido aos apetrechos impossíveis dos desenhos animados de crianças. Os mais sérios preferem “paratecnologia”, mas o termo anterior é tão usado que pegou. Dispositivos ACME produzem resultados desafiando as leis científicas conhecidas, muito parecidas com milagres paranormais, e geralmente não deveriam funcionar em sua construção e montagem.

A teoria prevalecente é que estas máquinas são apenas suportes elaborados, até o ponto onde alguns paranormais focam completamente suas habilidades na criação de dispositivos ACME e não produzem efeitos paranormais sem eles. Outros podem produzir máquinas capazes de efeitos que eles mesmo não podem produzir, mas também têm poderes utilizáveis sem estes sustentos. A maioria dos paranormais não faz dispositivos ACME, mas alguns são capazes de usar tais dispositivos construídos por outros.

A aparente portabilidade de dispositivos ACME varia. Em alguns casos, eles funcionam apenas para seu construtor: ninguém mais pode usá-lo ou produzir qualquer efeito paranormal. Outras máquinas são usadas por outros paranormais, ou até por qualquer um, enquanto algumas são usadas apenas por uma pessoa, a qual pode ser (ou não) o construtor do item. Em todos os casos, dispositivos ACME são únicos. Esforços para reproduzi-los usando meios tradicionais geralmente falham, e apenas sucedem no caso de uma cópia de um outro paranormal. Eles são impossíveis de construir em massa e cada dispositivo ACME é um trabalho individual.

A existência de dispositivos ACME torna contribuições para o progresso científico e tecnológico irregular. Muitos “avanços” dos paragons são simplesmente manifestações de seus próprios poderes incapazes de beneficiar qualquer um exceto eles. Ainda assim, alguns dispositivos ACME utilizáveis por não-paranormais são capazes de ter efeitos significativos, e são posses premiadas.

Há uma questão de se os dispositivos ACME são dependentes do suporte conínuo de seu criador. Os dispositivos usados por outros continuariam a funcionar se seu construtor estivesse mentalmente incapacitado ou morto? Isto continua desconhecido pois não houve um teste ainda, e é uma outra razão do porque poucos estão dispostos a confiar totalmente em máquinas construídas por paranormais.

O Efeito Centopeia

Relacionado ao efeito Dumbo está o tão conhecido “efeito centopeia”. Ele foi nomeado devido ao provérbio onde se pergunta como uma centopeia consegue controlar suas muitas pernas. Ela respondem, “Eu numa pensei nisso!” e tropeça em seus próprios pés, agora muito auto-consciente deles.

Alguns paranormais experimentam efeitos similares quando eles contemplam exatamente como suas habilidades trabalham. Muitos poderes aparentam totalmente funcionais quando um paranormal tem seu limiar, e seu uso é quase instintivo e subconsciente. Paragons geralmente não sabem como eles fazem o que fazem, apenas que eles podem fazer se escolherem isso. Usar um poder geralmente não requer mais esforço que pensar nele, a não ser que o paragon dependa de algum sustento (como descrito anteriormente). De fato, quanto mais o paranormal pensa nisso, mais difícil é para usar seus poderes, parecido com a história da centopeia.

Psicologia Paranormal

Paragons caldeira_leon